Navio de investigação Mário Ruivo nos estaleiros da Cardama S.A. em Vigo para instalação dos novos equipamentos científicos.

O navio de investigação (NI) Mário Ruivo encontra-se nos estaleiros da Cardama S.A. em Vigo, onde terá lugar a instalação de novos equipamentos científicos que possibilitam a realização de campanhas oceanográficas de caráter multidisciplinar, nomeadamente investigação ambiental, ecológica e das pescas, e mapeamento do fundo marinho, disponível para toda a comunidade cientifica e educativa contribuindo, assim, para o conhecimento dos ecossistemas marinhos e garantir a sustentabilidade das atividades económicas do programa “Crescimento Azul”. Os novos equipamentos técnico-científicos são:

– sonar omnidirecional de longo alcance utilizado para medições de cardumes de peixes e macrozooplankton, para contagem e estudos comportamentais de cardumes de peixes, mergulhos individuais de mamíferos marinhos e aves marinhas;

– ecossonda (Split Beam Echo Sounder) utilizada na pesca, especialmente para estimar a abundância de peixe e zooplâncton através de medições de múltipla frequência, com o navio a navegar ou totalmente parado.

– perfilador de corrente acústico “doppler” (ADCP) para mapear a distribuição de correntes de água e materiais suspensos na coluna de água (medições oceanográficas contínuas);

– sonda batimétrica multifeixe de águas profundas para mapear a batimetria do fundo submarino até 8 000 m de profundidade;

– sonda batimétrica multifeixe de águas intermédias para mapear a batimetria do fundo submarino até 3 000 m de profundidade;

– um perfilador paramétrico de sub-fundo para mapeamento do fundo marinho, utilizado para obter imagens de estruturas submarinas ou objetos no fundo do mar, com capacidade de operação a profundidades até 11 000 m;

Para além da instalação dos novos instrumentos científicos, o navio receberá novas workstations e monitores para visualização dos dados na sala de processamentos de dados e ponte, e será alvo de remodelação das suas cabines no deck principal, criando-se as condições necessárias para receber mais investigadores e técnicos a bordo. A beneficiação e instalação de equipamentos oceanográficos decorre entre janeiro e fevereiro de 2024.